Oito profissionais em alta na área de TI em 2014

Quando se trata de perspectivas globais de emprego para profissionais de TI, 2014 será muito parecido com 2013, com 32% das empresas esperando aumentar a quantidade de empregados em seus departamentos de TI, em comparação a 33% em 2013, segundo a pesquisa anual Computerworld 2014 Forecast. Este é o quinto ano consecutivo em que a percentagem de respondentes com planos de contratação aumentou: em 201 foram 29%, em 2011, 23% e em 2009, 20%.

Mas embora a demanda permaneça estável, no geral, haverá algumas mudanças no conjunto de habilidades mais desejadas pelos gerentes. É claro que os líderes não estão contratando tecnólogos indiscriminadamente. Eles buscam habilidades específicas para oferecer o que a empresa precisa para competir hoje. O desemprego “será provavelmente próximo a zero para pessoas com habilidades em alta demanda”, diz Michael Kirven, fundador e CEO da Mondo, provedora de recursos de tecnologia.

A seguir, as 8 habilidades mais desejadas em 2014:

1. Programação/Desenvolvimento de Aplicações – 49% dos entrevistados disseram que planejam contratar para essas habilidades nos próximos 12 meses.

Assim como em 2013, a contratação de programadores e desenvolvedores de aplicações estará no topo da lista de habilidades mais desejadas para 2014, embora um pouco menos de metade dos 221 entrevistados tenham dito que contratarão nessa área, em comparação com 60% no ano passado. Scot Melland, CEO da Dice Holdings, controladora da Dice.com, concorda que os desenvolvedores de software estão entre os trabalhadores de TI mais procurados, com uma das mais baixas taxas de desemprego – apenas 1,8%, de acordo com o EUA Bureau of Labor Statistics.

Não é de admirar, então, que os CIOs e líderes de TI que responderam à pesquisa Computerworld 2014 Forecast considerem as vagas de emprego de desenvolvedores e programadores como as mais difíceis de preencher (confira o quadro geral no fim deste texto).

As especialidades mais quentes dentro dessa categoria, segundo Melland, são o desenvolvimento mobile e a construção de aplicações seguras. A demanda será alta também por desenvolvedores qualificados, com experiência de três a cinco anos e uma orientação para a prestação de serviços.

 

2. Help desk/suporte técnico – 37% dos entrevistados disseram que planejam contratar para essa habilidade nos próximos 12 meses.

Help desk e suporte técnico permaneceram perto do topo da lista, tendo subido uma posição em relação ao ano de 2013. Melland diz que isso é um sinal encorajador para a economia e as perspectivas gerais de contratação. “Organizações adicionam help desk e suporte técnico quando estão ampliando sua infraestrutura de tecnologia”, diz ele.

Contribui para a demanda por técnicos de suporte o fato de muitas empresas estaram internalizando o help desk, após anos de terceirização dessa função, que é, em parte, uma resposta à proliferação de dispositivos móveis. Devido à complexidade da adoção de programas de BYOD, “é importante para a equipe de suporte compreender o que realmente a empresa está fazendo”, diz Melland.

 

3. Networking – 31% dos entrevistados disseram que planejam contratar para essa habilidade nos próximos 12 meses.

A demanda por habilidades de rede saltou do oitavo para o terceiro lugar. Resultado semelhante ao de uma pesquisa recente realizada pela Robert Half, na qual 55% dos entrevistados apontou a administração de rede como a habilidade mais desejada.

A necessidade de conectividade sem fio é, provavelmente, o grande motivo por trás do aumento no interesse por profissionais de rede, Melland diz. “A demanda por pessoas com experiência de rede sem fio cresce 9% ano a ano”, diz ele, e a taxa de desemprego entre administradores de rede e sistemas é de 1,1%.

Muitos líderes de TI dizem que ainda precisam de profissionais de rede com experiência sólida.

 

4. Gerenciamento de dispositivos e aplicações móveis – 27% dos entrevistados disseram que planejam contratar para essa habilidade nos próximos 12 meses.

Com a proliferação de dispositivos móveis nos mundos empresarial e de consumo, não é de admirar que as habilidades de gerenciamento de dispositivos e aplicações móveis tenha pulado de nono para o quarto lugar no ranking de prioridades para 2014.

 

5. Gerenciamento de Projetos – 25% dos entrevistados disseram que planejam contratar para essa habilidade nos próximos 12 meses.

Embora a gestão do projeto ternha caído da segunda posição no ano passado para a quinta este ano, continua sendo considerada uma habilidade altamente procurada.

Kirven, da Mondo, atribui a demanda por gerentes de projeto a um renovado interesse em complexas iniciativas estratégicas para os negócios. “A TI tem sido historicamente avaliada com base no sucesso ou fracasso de projetos, de modo que [as empresas estão] fazendo investimentos pesados ​​em analistas e gerentes de projetos estratégicos para os negócios”, diz ele. “Essas pessoas precisam ser capazes de falar com os desenvolvedores sobre a tecnologia e a solução certa, mas também precisam colocar seu chapéu de negócios para reunir os requisitos e priorizar as necessidades e traduzir isso em um esforço programável.”

 

6. Administração de Banco de Dados – 24% dos entrevistados disseram que planejam contratar para essa habilidade nos próximos 12 meses.

Administração de banco de dados continuará quente em 2014, provavelmente por causa do grande interesse em Big Data. Kirven admite que as empresas querem trabalhar cada vez mais os estoques crescentes de informação que armazenam em sistemas internos, combinados com dados recolhidos a partir de fontes como sites de mídia social, a Web e terceiros. Grande parte do interesse em Big Data tem origem no Marketing, que quer aprender tanto quanto possível sobre os clientes.

“As pessoas estão procurando por aquela pessoa que possa construir um mapa de seus sistemas e dados relevantes, e fazer a agregação lógica de dados para que possam analisar e extrair valiosas informações a partir deles”, diz Kirven.

DBAs com experiência na migração de peças da infraestrutura de TI para a nuvem também serão muito procurados, diz Melland.

 

7. Segurança, Compliance e Governança – 21% dos entrevistados disseram que planejam contratar para essas habilidades nos próximos 12 meses.

Experiência em segurança aparece em todas as listas de competências quentes para 2014 e Melland diz que o interesse em cibersegurança vai impulsionar ainda mais o aumento da demanda. “É uma daquelas habilidades em que cabem variados tipos de trabalho, como engenharia de rede, desenvolvimento de software e arquitetura de banco de dados”, diz ele.

Com o aumento no malware e ataques cibernéticos, a segurança tornou-se uma prioridade n º 1 para a PrimeLending, que dobrou sua equipe de segurança este ano, de quatro a oito pessoas, diz Elkins.

 

8. Business Intelligence e Analytics – 18% dos entrevistados disseram que planejam contratar para essa habilidade nos próximos 12 meses.

Com o volume de dados globais previstos para chegar a 35,2 zettabytes, de acordo com a IDC, as empresas estão ansiosas para ganhar uma vantagem competitiva através do desenvolvimento de capacidades analíticas sofisticadas. Apesar de BI e Analytics ainda serem consideradas especialidades e, portanto, terem menos oferta que outras categorias de trabalho na Dice.com, Melland diz que é a terceira habilidade de crescimento mais rápido no site.

Os melhores candidatos têm conhecimento técnico e do negócio e em estatística e matemática – uma mistura incomum de habilidades. De fato, algumas empresas estão contratando estatísticos e ensinando a eles sobre tecnologia e negócios.

 

Previsão 2014
Habilidades tecnológicas não são o único fator a considerar na avaliação de candidatos para empregos de TI. Os empregadores devem também considerar as habilidades interpessoais dos candidatos para garantir que as novas contratações sejam eficazes. As duas características mais importantes, de acordo com o levantamento da Computerworld, é a capacidade de colaborar (citado por 66% dos entrevistados) e a capacidade de se comunicar com os usuários de negócios (62%).

James Bland, gerente de rede de Wolverine, diz que essas são as habilidades que vai procurar em novas contratações. “Quero dar autonomia aos usuários para saber como a TI pode ajudá-los a serem mais eficientes”, diz ele. “Você pode implementar os melhores sistemas do mundo, mas se as pessoas não entenderem o que podem fazer com eles, serão inúteis”, diz Bland.

Na opinião de Lucille Mayer, CIO da BNY Mellon, a mentalidade de serviço ao cliente é uma obrigação. “Nosso departamento de TI é chamado de Soluções de Tecnologia, e cada um de nós tem um cliente do cliente, seja ele interno ou externo”, diz ela. “A orientação para o funcionário da área de TI é ser focado no cliente, ser colaborativo e ser um grande comunicador.”

Uma habilidade de comunicação importante é falar a língua de vários domínios de negócios, como marketing, vendas e finanças, diz Melland.

Na verdade, de acordo com Michael Kirven, da Modis, os empregadores estão buscando cada vez mais pessoas com conhecimentos de disciplinas de negócios, além de habilidades de tecnologia, quer se trate de um desenvolvedor HTML5 que compreenda a cadeia de suprimentos no varejo ou um desenvolvedor Java com experiência em sistemas de negociação de derivativos financeiros. “A especialização pode realmente impulsionar a inovação”, diz ele.

Fonte: CIO

Print Friendly